quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Nova Historia


      

      " Hoje eu tentei escrever uma nova história. Pensei em personagens, imaginei um enredo, construí um cenário, defini o tempo e o espaço. Fiz até diálogos. Quis inventar algo novo, pensei em uma história que nunca existiu e que jamais poderia existir. Eu queria contar a história de um alguém diferente de todos, um alguém diferente de mim. Sentei-me e comecei a escrever. A cada parágrafo que escrevia, percebia semelhanças com personagens que já são meus, que já foram meus, que jamais serão meus. Em cada linha, encontrava traços de mim mesma, de meus sentimentos já tão expostos e há tanto tempo iguais. Todas as minhas palavras já haviam sido ditas em outras frases, em outras histórias, em tantos outros enredos. Era tudo tão igual que desisti da minha história.
       Foi então que me afastei daquele papel cheio de palavras repetidas e suspirei. Aprendi, finalmente, que jamais conseguirei escrever uma nova história enquanto insistir nos mesmos coadjuvantes e não mudar o personagem principal: eu. 
Preciso me (re)inventar"